domingo, 11 de outubro de 2009

NÃO SOU QUALQUER UM.


Quando afirmo que não sou qualquer um não quero de maneira nenhuma dizer que sou mais ou melhor do que qualquer outro, sei apenas que o que carrego dentro de mim não é para qualquer um.
Aprendi a viver na solidão.Minha paixão é diferente, olho hoje a minha volta e o que vejo são vultos, vultos de pessoas que amei profundamente, pessoas pelas quais fui capaz de deixar minha cama vazia e fria para socorrer, pessoas pelas quais abri mão do convivio de meus filhos de minha família para dar atenção e socorrer, mas assim é o dom que me foi dado nao por merecimento ou escolha mas sim por eleição.
Aprendi que nem sempre serei aplaudido por minhas decisões, por minhas escolhas, mas sempre soube que não poderia e nem deveria agradar a todos, mas tarde eu li o que John Kennedy disse: "que o segredo do fracasso é tentar agradar todo mundo". Nunca quis isso, mas sempre busquei fazer o melhor para atingir a todos e nunca medi esforços para alcançar esse objetivo, não dei preferências nem fiz concessões, nem tao pouco arruinei a vida daqueles que até queriam uma pena para aplacar suas culpas, pelo contrário fiz sempre questão de lhes acenar com a misericórdia e o perdão.
Aprendi que a crítica faz parte da vida daqueles que sem medo assumem sua posição e dela não se desmovem enquanto seguro de suas convicções.
Aprendi que ter recebido tal dom não me revestiu de nenhum tipo de imunidade, nenhuma força extra, mas como todos eu também era mais um, sempre me vi não como servo daqueles que andavam comigo, porém era sim servo da visão que nos tornavam um só povo e dessa forma eu os servia como quem serve a visão que é maior que pseudos títulos possam rotular e afastar líderes de liderados.
Nunca me senti capaz de tal tarefa, mas sempre soube de onde veio graça e força.
Eu estava ali para transmitir esperança, e o fiz;
Eu estava ali para transmitir conforto, e o fiz;
Eu estava ali para  servir de apoio as pernas tropegas, e o fiz;
Eu estava ali para dar alento ao que sofria, e o fiz;
Eu estava ali para profetizar, e o fiz;
Eu estava ali para fazê-los sonhar, e o fiz;
Eu estava ali para fazê-los desejar mais, e o fiz;
Eu estava ali para curá-los, e o fiz;
Mas eu também os feri, nunca quiz fazer isso, nunca desejei fazer isso, melhor seria ter experimentado a morte física do que experimentado a rejeição.
É como se tudo de certo tivesse sido invalidado e ao contrário do que sabemos não é o perdão que cobre a multidão de pecados, mas o pecado sobrepõe todas as tentativas de acertar.

Porque os dons e a vocação de Deus são irretratáveis. Romanos 11:29


Sola gratia


Reinaldo

2 comentários:

Sandra disse...

Todos os teus feitos foram e serão sempre reconhecidos pelos que te ama,tenho orgulho de fazer parte de sua vida,mesmo em momentos tristes nunca perdi esse orgulho,e sei que na hora certa as coisas vão acontecer e quero estar do seu lado sempre como foi nesses 23 anos.

jean disse...

Não somente esse texto, mas também muitos outros como por exemplo o texto sobre a coragem do mês de abril, estão servindo como um incentivo a me aproximar mais de Deus a cada dia, estão me encorajando. Deus continue te guiando...